Maracujá Nativo

 

Nome Científico: Passiflora spp., da família das Passifloráceas 
Origem: O nome maracujá vem do tupi guarani, “mara-cuiá”, que quer dizer “alimento na cuia”.

 

Os vários tipos de maracujá são típicos do Brasil e podem ser encontrados em todo o país, podendo ser encontrado também na América Central, até os Estados Unidos. Há mais de 400 espécies, sendo que 30 a 60 fornecem frutos comestíveis. Vão de sabores doces a azedo, de frutos pequenos até frutos grandes com mais de 1 kg.
O maracujá mais comum é o maracujá azedo ou maracujá peroba (Passiflora edulis f. flavicarpa), sendo a espécie mais cultivada comercialmente.
A espécie, conhecida como Maracujá Nativo é típica da região de Cerrado, sendo encontrado no norte de Minas Gerais, Goiás e Tocantins.

Características: O maracujá nativo, tem flor branca,fruto de casca verde e polpa de um amarelo mais escuro que o maracujá azedo (maracujá cultivado comercialmente).
Seu sabor é característico, sendo menos azedo e mais suave,sendo também menos calórico.

O fruto é utilizado na forma de polpa, sorvetes, geléias, sucos, doces e licores. Pode ser utilizado nas mesmas receitas e da mesma forma que o maracujá azedo.

Às partes da planta tais como folhas (principalmente), flores e frutos são atribuídas propriedades calmante, sedativa, contra irritabilidade, anti-espamódico, contra neuroses devido a excessos de trabalho, perturbações nervosas da menopausa, nevralgias, insônias e histeria. Essas propriedades são atribuídas ao ingrediente ativo passiflorina (ou maracujina), além de flavonóides. Além da propriedade calmante, ao maracujá também é atribuído ação diurética, contra hipertensão, diabete, hemorróida e alergia.

É, ainda, boa fonte de vitaminas, principalmente vitamina A